Pesquisar este blog

16 de abr de 2013

Polenguinho Pizza


Pra falar a verdade eu não estava tão animado a voltar a fazer resenhas de produtos industrializados, mas - além do blog ser lido por gente do país todo (aliás, aguardem novidades sobre isso!) - sexta-feira eu comi um negócio que me fez mudar de ideia. 

Eu dou uma aula particular no meio da tarde, e eu sempre chego adiantado (nunca contem com o trânsito de São Paulo, NUNCA!). Daí no primeiro dia eu dei uma volta na lojinha junto à unidade de envasamento da Petrópolis (marca de água mineral). Como no dia eu nem tinha almoçado, comprei uma caixa de Polenguinho pra matar a fome e passar o tempo - olá, obesidade mórbida! Não teve como não notar que a loja oferecia vários sabores do queijo-lanche, então cada dia eu comi um diferente: gorgonzola, cheddar, e até requeijão! E fui deixando por último o de pizza, porque... nah, coisas sabor pizza são sempre aquilo: gosto de tomate + orégano + chulé. Mas a vez dele chegou, e eu me surpreendi.

Polenguinho sabor Pizza

 

Quando você abre a embalagem individual, já sente pelo aroma que de tomate e chulé isso não tem nada. Então você morde. E meu-deus-do-céu. Que delícia. Basicamente é sabor de queijo muçarela com azeite, e um toque leve de orégano, mas bem leve mesmo (como deve ser, OUVIRAM, EMPRESAS DE SALGADINHOS?). Eu juro, realmente tem sabor de pizza. O melhor? Nada de tomate. Não, eu não acho que é por causa dos preços altos do vegetal. É puro bom senso, mesmo. Recomendo fortemente, pra consumir como lanche, pra colocar no seu sanduíche, e pra servir na sua wine tasting pretensiosa. Vocês simplesmente TÊM que experimentar. Basta ver quantos ketchups ele ganhou.

Quanto? R$3,65 (o preço deve variar dependendo do lugar)

Photobucket

Não, não me fez **** enquanto eu comia. Mas quase (afinal, é queijo!)


11 de abr de 2013

Starbucks - Cheese cake

E a saga do cheese cake não para! Quase 5 anos se passaram desde que eu comecei o blog, e ainda é difícil encontrar um cheese cake de verdade por aqui. Já teve o copinho de cheese cake da Pain et Chocolat, o com doce de leite da Havanna, e a pior coisa já vendida comercialmente de todos os tempos (depois da calça Saruel).

Daí que outra coisa que tem mudado nesses 5 anos é o Starbucks. MANO. Tem um em cada esquina. Pra vocês terem ideia do que eu estou falando, em absolutamente qualquer lugar que você estiver na Avenida Paulista você está a uma distância confortavelmente caminhavel de alguma loja. E sempre tem bastante gente. Isso é mais que o McDonald's. É assustador. O que me deixa feliz é saber que mesmo assim eles não param de se esforçar pra nos agradar, e estão sempre cheios de novidade no cardápio, tanto o de comidas quanto o de bebidas. Apesar de que tem coisa que não muda: o Frapuccino continua uma porcaria.

Voltando às novidades no menu de comestíveis: tem até, vejam só, o cheese cake! Faz um tempinho já que eu o vi na prateleira, mas esperei uma boa oportunidade para experimentá-lo (a.k.a. "eu ter dinheiro para"). Acreditei que o fato de que abriu uma loja da rede no shopping novo de São Bernardo do Campo (!!!) poderia ser uma boa desculpa, e fui com tudo.

Cheese cake de frutas vermelhas

Sem cobertura. Como nota-se, o sabor das frutas vermelhas está (aparentemente) junto ao recheio.

Vamos começar falando mal? Estava com gosto de geladeira, nas bordas. Meio compreensível, já que ficam as fatias dispostas para servir, e não uma torta inteira. Além disso, eu não senti sabor nenhum de frutas vermelhas, o que pode decepcionar muita gente... (agora vamos terminar falando bem?), mas não a mim! PUTA MERDA, QUE COISA BOA. É o único que realmente tem cara do tipo mais clássico, o New York style: massa amanteigada e esfarelenta, com um recheio de cream cheese bastante rico, porém leve (assim como a Rachel descreve). E como o que eu gosto mesmo é do recheio e nunca pude me importar menos com caldas de frutas vermelhas ou goiabada (chega de goiabada no cheese cake, gente. CHEGA!), pra mim este está do jeito que deveria ser. Só não leva 5 ketchups por causa do gosto de geladeira. 

Quanto? R$8,90 o pedaço. Não é tão caro, visto que você pode pagar 15 reais numa fatia que não é lá essas coisas.
Onde? Em qualquer Starbucks. Em São Paulo, basta fechar os olhos, dar 10 passos e você estará em uma loja (ou vai esbarrar em algum cidadão gay de cabelo raspado dos lados). Ou então você pode encontrar a loja mais próxima aqui, mas não vai se divertir tanto quanto no primeiro método. Cacete, como eu estou escrevendo hoje!

Photobucket


Eu nunca achei que algo tão simples fosse render tantos posts, mas a diferença de um pra outro é tão gritante que eu acho que ainda vai ter mais. Conhece algum cheese cake decente, ou péssimo? Sugira!

7 de abr de 2013

Rock & Ribs - Carolina Strips

Não é novidade nenhuma que o Outback é tratado por brasileiros como o melhor e mais sofisticado (!) restaurante do mundo. Evidência disso é o caso do Daniel Outback. Eu mesmo já resenhei as famosas batatas e a ainda mais famosa costela deles. Também não é novidade que brasileiro não sabe que o menu da casa tem outras opções além das citadas acima, adicionando a Bloomin' Onion.

Daí o que que acontece quando algo tá hype demais? Surgem alternativas parecidas. Por exemplo, um restaurante fast-food com menu equivalente. Porque nem todo mundo está a fim de esperar três horas numa fila pra comer cebola frita no meio de muita, mas MUITA coxinhagem.

É aí que entra a Rock & Ribs, rede de restaurantes para praças de alimentação que se baseia no casual dining americano. Conheci faz um tempo já, comi a tal costela (tão boa quanto a do Outback, só que pela metade do preço), e até um macarrão com costela desfiada (olá, reaproveitamento de sobras!). Mas eu queria sair da zona de conforto e experimentar algo mais original do menu deles.

Foi aí que eu lembrei que a minha irmã havia comentado que ela gostou das Carolina Strips, que são tiras de frango empanadas. E o mais bacana é que você tem direito a três acompanhamentos que, segundo ela, vinham em demasia. Almocei lá ontem. Vamo lá?

Carolina Strips
O que são? Tiras de frango empanadas e fritas, com três acompanhamentos (purê de batata, onion rings e farofa com ovo e bacon) - há também como opções: arroz branco, feijão tex-mex, legumes cozidos, salada e fritas.

Havia QUATRO pedaços de frango no meu prato! Mas no final das contas é um pouquinho demais, porque os pedaços são grandes. E fritos, o que, quando você está lá pela metade do terceiro pedaço, te dá aquele enjôo de óleo (mas você pode tampém ser menos idiota do que eu e não pedir nenhum acompanhamento frito). Sobre as strips em si, são boas, mas poderiam ser melhores. A massa que empana, por exemplo, poderia ter um tequinho de pimenta do reino. Em alguns pedaços o frango estava macio e suculento. Em outros, estava seco. Nada do que reclamar da farofa e dos onion rings, que aliás são uns dos melhores que têm por aí (já falei que os do The Fifties são uma piada?). Agora, o purê. Eu amo purê de batata. E gosto daquele purê bem gordo, com adição de leite. E das outras vezes que eu comi no Rock & Ribs eu tinha enlouquecido com o purê deles. Era cremoso e saboroso. Ontem ele estava mais massudo e salgado demais. Espero que tenha sido um leve deslize de padrão.

Quanto? R$18,50
Onde? Rock & Ribs. (No site tem a localização das lojas)

Eu aconselho vocês a conhecerem a casa, que é decorada com álbuns de rock, e experimentar as diferentes opções que eles oferecem (tem umas do menu executivo que são daqui, ó.)

Photobucket


3 de abr de 2013

Tipo: Pão integral não é integral.


Comecei a prestar atenção nisso há alguns meses. A marca de pão integral que eu costumava comprar não estava disponível e eu comprei outra. Abri o pacote, peguei duas fatias, e notei que o miolo estava liso demais, diferente do típico miolo mais grosso, cheio de grãozinhos marrons do pão integral que eu conhecia. Aquilo parecia um simples pão de forma branco - só que marrom.

Como eu havia aprendido nas aulas de nutrição, a lista de ingredientes num rótulo segue uma ordem: do ingrediente em maior quantidade pro ingrediente em menor quantidade. Fui direto à lista de ingredientes e adivinha qual era o primeiro? "Farinha de trigo enriquecida com ferro é ácido fólico". Em outras palavras: farinha branca. Tinha um teco de farinha integral lá, sim, junto de, adivinha de novo o quê? Cacau. Yep. Tem tão pouca farinha integral no pão "integral" que eles colocam cacau pra que ele fique marrom. Cacau, que, inclusive, aumenta o valor calórico. E você só comendo pão "integral" na sua dieta, hein? E não é marca chinfrim, não. É Panco. Marca asiática. E, não negue, você confia cegamente nas marcas asiáticas (Hyundai é melhor que Fiat, Samsung é melhor que Apple, etc).

Pensei: Filhos da 売春婦! Nunca mais como pão deles. E continuei a comprar o pão preto da marca que eu sempre comprava: Wickbold.

Neste último sábado eu fui ao supermercado e resolvi comparar rótulos de diferentes marcas de pães integrais. Claro, há diferentes tipos de "integral" hoje em dia. Preto, Linhaça, Iogurte com cenoura (juro!), 7 grãos, 10 grãos, quantos grãos você quiser, e tudo mais. Mas todos eles têm em comum a palavra "integral", a mais desejada pelo consumidor em qualquer produto - exceto o leite. Então dá uma olhada nos ingredientes de diferentes marcas;

  

 

Tudo com mais farinha branca do que integral. Inclusive minha antiga marca favorita, Wickbold. E, como você pode colocar o mínimo que quiser de farinha integral e vender o produto como "pão integral", algumas marcas nem se dão o trabalho de dizer quanta farinha integral o pão leva. E, nas marcas que informam o quanto tem, note que a quantidade muda pra cacete de um pra outro. Na figura inferior à esquerda é 13%, na inferior à direita, é 3%!

Ou seja: você decide ingerir alimentos mais caros saudáveis e acaba comendo a mesma porcaria branca - só que marrom. E as empresas fazem isso deliberadamente, gastando o mesmo - ou menos - em um produto mais caro (pães integrais custam no mínimo R$5 por 300 e poucos gramas, na média) que elas gastam em um produto mais barato (pães de forma brancos custam, em média, por volta de R$3 ou R$4, por 500g).

Por quê? Porque nós somos trouxas. Ou éramos.

(Duvida? Dá uma olhada nos preços dos pães integrais e brancos no site do Pão de Açúcar. Inclusive, clique em cada produto pra ver a lista de ingredientes. E comece a chorar.)

A dica é, obviamente, olhar na embalagem e procurar produtos cujo primeiro ingrediente é farinha de trigo integral. De todos os que eu olhei sábado (em um Carrefour, hipermercado com uma puta variedade de marcas) somente um produto de uma marca passou no teste.


Pão integral original da Pullman. Que, inclusive, vem em 500g em vez de 300 ou 400.


Disponível nesta embalagem, caso você queira procurar. E eu juro que este não é um post pago.

Está dada a lição do dia, crianças: nada de pão branco marrom.