Pesquisar este blog

24 de dez de 2009

Receita: Gingerbread Man

E o momento Palmirinha está de volta! Mais uma vez especial pro Natal.

Daí que assim, me deu vontade de fazer alguma coisa bem natalina esse ano... e pra mim não tem nada (doce) mais natalino que o Gingerbread Man. Blá blá blá você é muito americanizado: Olha o quanto eu me importo.

Pra quem não sabe, Gingerbread Men são biscoitos que levam gengibre na massa, em formato de gente. O mais famoso do mundo é um personagem dos filmes do Shrek que leva o mesmo nome. Eu tinha feito um só uma vez, na faculdade, e francamente foi um desastre. Daí hoje resolvi tentr mais uma vez, com uma outra receita que eu encontrei na internet e adaptei pra mim. Bora anotar pq ainda dá tempo de fazer, nem que seja pro café da manhã de amanhã!

3/4 de xícara de açúcar mascavo

1/2 xícara de manteiga amolecida

Bata os dois (eu aceito uma batedeira com globo de presente)

Pare de bater e adicione: 2 ovos,

1/4 de xícara de melado de cana. Não encontrei o melado e usei o famoso Karo mesmo.


2 colheres de gengibre ralado (se você encontrar em pó, é melhor)

1 e 1/2 colher de bicarbonato de sódio


1/2 colher de canela em pó. Aqui vc poderia também usar noz-moscada. Adivinha se às 22h da véspera da véspera de Natal eu encontrei?

e 1/2 colher de sal. Bata tudo.

Por último, adicione 3 e 1/4 xícaras de farinha de trigo peneirada.

Cubra a massa com filme plástico e leve ao refrigerador por uma hora (se estiver fazendo esse calor infernal, pode aumentar pra duas). Depois disso, polvilhe farinha de trigo sobre uma superfície e espalhe a massa. Seja rápido pois ela tende a derreter facilmente. Ou então, se estiver muito quente, você pode abrir a massa e colocar em formas de pizza (untadas) e levar de volta ao refrigerador, para que a massa volte a ficar firme e você consiga cortar usando um...

Aro cortador para Gingerbread Man.
Leve para assar em forma untada e enfarinhada, em forno pré aquecido (180ºC) por 8 minutos, ou até dourar.
Depois de pronto, decore com glacê colorido (não caia na besteira de usar fondant. É pior que a Beyoncé sem aplique), e...

There you go!
PS: Eu sei, não chegou lá muito perto da perfeição. Parte por culpa do calor, parte por culpa do aro que era pequeno demais e tinha formato meio nada a ver, e principalmente porque eu sou um idiota que tentou usar fondant.
Sirva, coma, e Feliz Natal! E não, o blog não vai entrar em recesso desta vez. =D
-
Esta receita eu adaptei de uma que eu encontrei no Cinara's Place. Mal terminei de ler a receita e já me apaixonei pelo blog, que é 100% voltado pra culinária americana, com ênfase nos doces. Perfeito pra quem já morou lá e sente saudade das delícias de lá. Visitem com força!

3 de dez de 2009

Chá Colonial - Marzana

Comer até explodir aqui no Sul tem nome, e se chama "Café Colonial". É um chá da tarde bem reforçado, com vários tipos de bolos, tortas, pães e salgadinhos. O forte desse tipo de serviço é no interior do estado (afinal, tudo o que é colonial vem de lá), mas aqui na capital é possível encontrar restaurantes que trabalham com isso.

É possível mas não é barato. Exatamente por isso que eu até agora não fiz uma resenha de café colonial. Mas outro dia eu parei pra tomar um suco em um lugar no centro, quando eu notei um buffet bem bonitinho e a galera se acabando de comer. Ahá! A casa servia uma espécie do tal café colonial, só que mais acessível (preço por peso, não por cabeça). Jurei pra mim mesmo que um dia eu tinha que experimentar a birosca. E hoje eu assim o fiz.

Buffet Chá Colonial
Prato à esquerda: Cheese-cake de frutas vermelhas e torta de maçã com custard (creme a base de ovos). No outro prato, sentido horário: Paltelzinho de frango, enroladinho folhado com calabresa, croquetes, torta fria (ou salpicão) de legumes (não parece outra coisa?), quiche de frango e quiche de legumes. Na xícara: chá colonial (infusão com maçã, abacaxi e especiarias), gelado.

+ Primeiro de tudo: chá à vontade! E mano... esse chá é muito bom. Bem refrescante, sabor bem aguçado... ótimo! E também o fato de ter chá gelado disponível... so não entendo como estavam tomando mais chá quente do que gelado (se bem que... o povo toma chimarrão debaixo de 35ºC, vou dizer o quê?). As quiches estavam perfeitas: cremosas e com massa macia. E os salgadinhos quentinhos e sequinhos - destaque pro croquete, com massa cremosa. As tortas... bom, do cheese-cake eu falo mais ali nos negativos, agora a torta de maçã.... mano, que que é isso??? Massa no ponto perfeito, fatias fininhas de maçã envoltas numa calda caramelada bem suave, e o creme de cima no ponto mais próximo da perfeição que eu já vi um custard chegar. Na boa, sou forçado a colocar aqui, pela segunda vez:

Photobucket
(Mas só pra torta de maçã.)

- Primeiro, a falta de copos pro chá gelado (por isso que eu tomei na xícara, não porque eu sou retardado) e de facas de mesa. A variedade dos itens também é sofrida. Era croissant de frango, pastelzinho de frango, quiche de frango, empadão de frango, coxinha de frango... tipo, o que aconteceu com ahmm.. vejamos... o queijo? Não tinha nada de queijo ali! Nem mesmo o cheese-cake tinha queijo. A não ser que gelatina incolor + leite condensado seja considerado queijo em algum lugar desse mundo. Meu, já vi cheese-cake nada a ver, mas esse superou todos os limites da cara-de-pauzisse. Enfim, a torta fria estava praticamente morna (opa, maionese quase quente! A Vigilância Sanitária ligou e mandou um beijo!), sem contar que ela estava disponível no meio dos doces (?!), que por sua vez eram os primeiros itens dispostos no balcão. Alguém já viu algum buffet começar pela sobremesa?

Onde? Marzana Confeitaria
Rua dos Andradas, 1718
Tel.: (51) 3226-1295
Quanto? R$3,29 cada 100 gramas.
A quantidade razoável que eu peguei acabou dando por volta de R$15,00.

Afinal, vale a pena? Claro que sim. O preço não é coisa de outro mundo, e é tudo de ótima qualidade. Até o cheese-cake a torta de gelatina branca, mesmo decepcionante, estava deliciosa. Até agora, que eu saiba, é a melhor opção pra se tomar um lanche no centro de Porto Alegre.

Avaliação:
Photobucket