Pesquisar este blog

28 de fev de 2014

Mr. Mill's - Cheese Dog Chilli

Algo que me fascina é como o cachorro quente muda de cultura pra cultura. Os alemães usam suas salsichas espetaculares em pãezinhos redondos, e frequentemente colocam chucrute junto. Aqui no Brasil o sanduíche virou carnaval, e vale colocar milho, ervilha, bacon, ovo de codorna e até passas (mas se os paulistas colocam purê de batata, opa - aí já é exagero). Mas encher um dog com whatevs não é exclusividade nossa. Os americanos cometeram exagero similar ao colocar chili e queijo no dog deles.

Chili (ou chili con carne), pra quem não sabe, é um cozido mexicano, feito com carne (dã), feijão, tomate, cominho, e muita pimenta. E pimenta das boas, que os sortudos dos mexicanos têm de sobra. Se um dia você tiver o desprazer de ir ao sul americano, recomendo fortemente que você salve a sua viagem comendo uma tigela de chili.

Mas voltando ao cachorro quente com chili: há tempos que um grande amigo meu me diz que eu deveria comer o Cheese Dog Chilli do Mr. Mill's, uma lanchon... ~hamburgueria~ que fica ali no Paraíso. E nesta última quarta-feira eu tive a chance de experimentá-lo. E me surpreender. MUITO. Vejam só:


Cheese Dog Chilli - R$14,90

Primeiro de tudo: esse foi o segundo dog que veio à minha mesa. O primeiro não tinha o... ahm... chili. Mas ok, pedi pra trocar e trocaram. E veio essa coisa interessantíssima que vocês podem ver na foto. Aquilo ali em cima parece chili, pra vocês? Nem pra mim. Daí eu vou lá e como (de garfo e faca, que o restaurante teve a audácia de trazer junto do lanche). E sinto gosto de molho de tomate industrializado (provavelmente da marca SóSódio®), sinto também muitos pedaços de cebola, um gosto muito forte de pimenta (das bem ruins), e até umas azeitonas. E a carne? Sei lá.

A carne e o feijão devem estar lá longe, junto da tal "qualidade". Eu poderia reclamar do tamanho minúsculo do sanduíche. Poderia rir na cara do restaurante por ter cortado duas salsichas - que até que são boas - ao meio e chamar isso de cachorro quente. Poderia criticar a falta de conhecimento da língua inglesa por colocar o nome "Cheese Dog Chilli", que, além da gramática no nome não fazer o menor sentido, erra feio na ortografia da palavra chili. É com um L só que se escreve isso que você não serve, meu caro Senhor Mill. Poderia também reclamar que o queijo não é cheddar. Mas, bem, não vou fazer nada disso. Vou apenas lamentar que eles sirvam essa piada em cima de um cachorro quente e chamem de chili. Digo, chamam de chiLLi. E cobram quase 15 conto por essa piada.

Chili tem que ter carne, meu Deus do céu! Tem que ter feijão! Tem que ter tomates frescos! Vocês TÊM carne e tomate, afinal trabalham com hambúrgueres (os quais eu não quero nem passar perto de experimentar, depois dessa). E feijão não é exatamente difícil de se encontrar aqui no Brasil, né? Sabe. Não pode ser tão impossível assim, conhecer o nome que vai pro cardápio superfaturado de vocês.

Puta merda, que coisa ruim.

Mr.Mill's
Rua Abílio Soares, 165. Paraíso, São Paulo - SP.
(11) 3052-1333

Desta vez, no lugar dos -417 ketchups que o MrMill's merece, coloco o nosso amigo HOT DOGE:


Such bad hot dog. Much Horrible. Wow... I mean, EW.


17 de fev de 2014

Receita: Spaghetti alla Carbonara


 Enquanto eu estava escrevendo o último post eu inevitavelmente pensei na maravilha que é a carbonara, e como eu a conheço desde quando eu era criança e a minha mãe trouxe a receita um dia pra casa. Foi paixão à primeira garfada - o que não é difícil quando, no seu garfo, você tem macarrão+ovo+bacon+queijo. E então me veio a vontade de, depois de anos, fazer a receita e compartilhar a receita aqui no blog. Vam?

Ingredientes (sentido horário): 100g de pancetta (ou bacon, se você não encontrar pancetta), 350g de spaghetti grano duro, 2 dentes de alho inteiros, 50g de manteiga sem sal, 3 ovos, 100g de queijo pecorino, 2 colheres de queijo parmesão, pimenta do reino (o quanto baste).  
 
 Rale os queijos, bata os ovos com (pouco) sal e pimenta, esmague os dentes de alho com uma faca deitada e pique a pancetta. Cozinhe o spaghetti por 10 minutos, enquanto a pancetta frita junto ao alho. Derreta a manteiga em uma frigideira bem grande, e junte a pancetta e o alho (foto). Deixe cozinhando por 5 minutos em fogo médio. A este ponto, o alho já transmitiu sabor à manteiga, e você pode removê-lo.


 Usando um pegador, tire o spaghetti da água e imediatamente adicione à frigideira onde estão a pancetta e a manteiga (foto), sem se preocupar se um pouco de água pingar. NÃO dispense a água do macarrão, você vai precisar de parte da água depois, para deixar o resultado final mais cremoso.
Misture bem o spaghetti à manteiga e a pancetta, e então junte os ovos e 3/4 dos queijos (foto). Levante o spaghetti para que os ovos e o queijo se misturem bem, e então adicione meia concha da água que cozinhou a massa. Assim que estiver tudo misturado, adicione pimenta do reino a gosto, e está pronto para servir (com um pouco mais de queijo por cima, afinal queijo nunca é pouco).
Se na hora que a massa for servida ela estiver mais seca, adicione uma colher da água quente ao prato e misture bem. Este prato é maravilhosamente bem acompanhado de uma taça de Merlot.

Esta é uma adaptação de uma receita publicada na Good Food Magazine. Eis o link para a original.

10 de fev de 2014

Mangiare - Pizza Carbonara

Ah, carbonara. Quem quer que tenha tido a ideia de juntar spaghetti + bacon + ovos + queijo + pimenta do reino merece um beijo. É de longe uma das melhores coisas que pode-se fazer com macarrão. E o que acontece com combinações assim tão boas? Elas migram para outros pratos.

O restaurante Mangiare, na Vila Leopoldina, é um lugar excelente por vários motivos. O ambiente é agradabilíssimo, o serviço é ótimo, eles te colocam quanto tiramisù você quiser no seu prato, eles mesmos produzem o pepperoni das pizzas, e adivinha? Eles fazem pizza de carbonara. Pois é, uns descarados.

 Pizza carbonara: ovo feito na lenha, pancetta, queijo fondente, pimenta do reino e raspas de limão  (pedi sem raspas de limão, porque oi, eu não sou obrigado)
R$45,00


Sobre as pizzas deles, em geral: mano, que coisa boa. Massa excelente (fina, macia E crocante), molho simples e de qualidade, que eu inclusive não reclamaria se tivesse vindo em maior quantidade*
Sobre essa pizza, especificamente: WOW. Eu já esperava uma bela duma pizza, mas olha... me surpreendeu. O queijo, pra começar, é maravilhoso. A pancetta é diferente do bacon-qualquer-coisa que as hamburguerias torram e enfiam no seu lanche. E, claro: O ovo. O senhor Queijo, o todo-poderoso, que me desculpe, mas o ovo é o protagonista aqui. Nunca subestime o poder que um ovo frito tem sobre os pratos. O sabor da gema meio cozida entra numa harmonia tão grande com a pancetta, o queijo e a pimenta, que eu não sei por que ninguém tinha pensado nisso antes. Uma pena que vêm só 3 ovos por pizza, e não uns 15.

Vão la. Peçam essa pizza. Experimentem com as raspas de limão, se quiserem. Vai que... né? Mas vão. Não se arrependerão.

Mangiare
Avenida Imperatriz Leopoldina, 681
Vila Leopoldina, São Paulo
(11) 3034-5074

Photobucket

*Tenho notado menos molho nas pizzas. A dona da Gioconda & Helenica me falou que os brasileiros estão querendo cada vez menos molho em suas pizzas, e que inclusive pedidos de pizza sem molho são cada vez mais frequentes. O que vocês acham disso? Me tuítem sobre isso, me facebookem sobre isso, ou apenas comentem aqui em baixo.

6 de fev de 2014

Bar: Beer Bamboo


Tá mais do que na hora de voltar a avaliar lugares e não só pratos, né?
Sexta passada eu e uns amigos queríamos ir a um bar (sim, eu sei: só nós, ninguém mais). A Vila Mariana seria mais conveniente para uns deles, e eu joguei a região na pesquisa do Zomato. Com a facilidade do app pra se ter informações de cardápio e preços, escolhemos o Beer Bamboo. Fomos lá, loucos atrás de cerveja de garrafa e coxinha, e nos deparamos com uma agradável surpresa: se alguém na mesa faz check in no Foursquare, a mesa toda ganha desconto de 5%!

Primeiro: que cardápio legal. Preços ou honestos ou não mais caros que em outros lugares (alô, Veloso!), e opções bem das boas para se comer (fritas com parmesão, oi?). Mas queríamos coxinha, pedimos coxinha.

Coxinhas Beer Bamboo - R18,90

10 unidades. Tamanho bom para petisco. Sequinhas, crocantes, bem recheadas, recheio bem temperado, só poderia ser mais suculento. Mas olha, tá tão difícil uma coxinha boa por aí, e essa tá ó: uma delícia. Vai muito bem com uma garrafa da ótima cerveja Paulistânia (que está custando inacreditáveis R$7,90!).

Mojito Original - R$ 15,90

Daí mais tarde nós precisávamos celebrar o tal beijo que rolou na novela (não diga que somos ridículos, pois há relatos sobre pessoas comemorando o beijo como se fosse gol. Gol. Futebol. Argh.), e pedimos coquetéis. Eu tomei esse mojito, que estava ótimo mas bem que poderia estar mais gelado (pra esfriar a fumacinha saindo das minhas orelhas ao ouvir o garçon perguntando ao meu amigo, duas vezes, com que fruta e bebida ele queria a caipirinha dele).

No fim das contas, o Beer Bamboo é um bar pro qual eu voltaria fácil. Numa sexta à noite ele não estava lotado (chegamos às 20:30 e ainda havia mesas pro lado de fora!), o serviço é eficiente e simpático, o cardápio e ótimo, e os preços não são os piores da cidade. Além disso, fiquei sabendo que se você faz reserva para mais de 20 pessoas, eles te garantem o andar de cima inteiro! (obrigado, Karen!)

 Na próxima vez, vou mais abonado e exploro o cardápio de cervejas (e arrasto algum amigo que use o Foursquare, pra garantir o desconto).
  
Beer Bamboo
Rua Joaquim Távora, 895. Vila Mariana, São Paulo
(11) 3895-1565

Photobucket