Pesquisar este blog

24 de dez de 2009

Receita: Gingerbread Man

E o momento Palmirinha está de volta! Mais uma vez especial pro Natal.

Daí que assim, me deu vontade de fazer alguma coisa bem natalina esse ano... e pra mim não tem nada (doce) mais natalino que o Gingerbread Man. Blá blá blá você é muito americanizado: Olha o quanto eu me importo.

Pra quem não sabe, Gingerbread Men são biscoitos que levam gengibre na massa, em formato de gente. O mais famoso do mundo é um personagem dos filmes do Shrek que leva o mesmo nome. Eu tinha feito um só uma vez, na faculdade, e francamente foi um desastre. Daí hoje resolvi tentr mais uma vez, com uma outra receita que eu encontrei na internet e adaptei pra mim. Bora anotar pq ainda dá tempo de fazer, nem que seja pro café da manhã de amanhã!

3/4 de xícara de açúcar mascavo

1/2 xícara de manteiga amolecida

Bata os dois (eu aceito uma batedeira com globo de presente)

Pare de bater e adicione: 2 ovos,

1/4 de xícara de melado de cana. Não encontrei o melado e usei o famoso Karo mesmo.


2 colheres de gengibre ralado (se você encontrar em pó, é melhor)

1 e 1/2 colher de bicarbonato de sódio


1/2 colher de canela em pó. Aqui vc poderia também usar noz-moscada. Adivinha se às 22h da véspera da véspera de Natal eu encontrei?

e 1/2 colher de sal. Bata tudo.

Por último, adicione 3 e 1/4 xícaras de farinha de trigo peneirada.

Cubra a massa com filme plástico e leve ao refrigerador por uma hora (se estiver fazendo esse calor infernal, pode aumentar pra duas). Depois disso, polvilhe farinha de trigo sobre uma superfície e espalhe a massa. Seja rápido pois ela tende a derreter facilmente. Ou então, se estiver muito quente, você pode abrir a massa e colocar em formas de pizza (untadas) e levar de volta ao refrigerador, para que a massa volte a ficar firme e você consiga cortar usando um...

Aro cortador para Gingerbread Man.
Leve para assar em forma untada e enfarinhada, em forno pré aquecido (180ºC) por 8 minutos, ou até dourar.
Depois de pronto, decore com glacê colorido (não caia na besteira de usar fondant. É pior que a Beyoncé sem aplique), e...

There you go!
PS: Eu sei, não chegou lá muito perto da perfeição. Parte por culpa do calor, parte por culpa do aro que era pequeno demais e tinha formato meio nada a ver, e principalmente porque eu sou um idiota que tentou usar fondant.
Sirva, coma, e Feliz Natal! E não, o blog não vai entrar em recesso desta vez. =D
-
Esta receita eu adaptei de uma que eu encontrei no Cinara's Place. Mal terminei de ler a receita e já me apaixonei pelo blog, que é 100% voltado pra culinária americana, com ênfase nos doces. Perfeito pra quem já morou lá e sente saudade das delícias de lá. Visitem com força!

3 de dez de 2009

Chá Colonial - Marzana

Comer até explodir aqui no Sul tem nome, e se chama "Café Colonial". É um chá da tarde bem reforçado, com vários tipos de bolos, tortas, pães e salgadinhos. O forte desse tipo de serviço é no interior do estado (afinal, tudo o que é colonial vem de lá), mas aqui na capital é possível encontrar restaurantes que trabalham com isso.

É possível mas não é barato. Exatamente por isso que eu até agora não fiz uma resenha de café colonial. Mas outro dia eu parei pra tomar um suco em um lugar no centro, quando eu notei um buffet bem bonitinho e a galera se acabando de comer. Ahá! A casa servia uma espécie do tal café colonial, só que mais acessível (preço por peso, não por cabeça). Jurei pra mim mesmo que um dia eu tinha que experimentar a birosca. E hoje eu assim o fiz.

Buffet Chá Colonial
Prato à esquerda: Cheese-cake de frutas vermelhas e torta de maçã com custard (creme a base de ovos). No outro prato, sentido horário: Paltelzinho de frango, enroladinho folhado com calabresa, croquetes, torta fria (ou salpicão) de legumes (não parece outra coisa?), quiche de frango e quiche de legumes. Na xícara: chá colonial (infusão com maçã, abacaxi e especiarias), gelado.

+ Primeiro de tudo: chá à vontade! E mano... esse chá é muito bom. Bem refrescante, sabor bem aguçado... ótimo! E também o fato de ter chá gelado disponível... so não entendo como estavam tomando mais chá quente do que gelado (se bem que... o povo toma chimarrão debaixo de 35ºC, vou dizer o quê?). As quiches estavam perfeitas: cremosas e com massa macia. E os salgadinhos quentinhos e sequinhos - destaque pro croquete, com massa cremosa. As tortas... bom, do cheese-cake eu falo mais ali nos negativos, agora a torta de maçã.... mano, que que é isso??? Massa no ponto perfeito, fatias fininhas de maçã envoltas numa calda caramelada bem suave, e o creme de cima no ponto mais próximo da perfeição que eu já vi um custard chegar. Na boa, sou forçado a colocar aqui, pela segunda vez:

Photobucket
(Mas só pra torta de maçã.)

- Primeiro, a falta de copos pro chá gelado (por isso que eu tomei na xícara, não porque eu sou retardado) e de facas de mesa. A variedade dos itens também é sofrida. Era croissant de frango, pastelzinho de frango, quiche de frango, empadão de frango, coxinha de frango... tipo, o que aconteceu com ahmm.. vejamos... o queijo? Não tinha nada de queijo ali! Nem mesmo o cheese-cake tinha queijo. A não ser que gelatina incolor + leite condensado seja considerado queijo em algum lugar desse mundo. Meu, já vi cheese-cake nada a ver, mas esse superou todos os limites da cara-de-pauzisse. Enfim, a torta fria estava praticamente morna (opa, maionese quase quente! A Vigilância Sanitária ligou e mandou um beijo!), sem contar que ela estava disponível no meio dos doces (?!), que por sua vez eram os primeiros itens dispostos no balcão. Alguém já viu algum buffet começar pela sobremesa?

Onde? Marzana Confeitaria
Rua dos Andradas, 1718
Tel.: (51) 3226-1295
Quanto? R$3,29 cada 100 gramas.
A quantidade razoável que eu peguei acabou dando por volta de R$15,00.

Afinal, vale a pena? Claro que sim. O preço não é coisa de outro mundo, e é tudo de ótima qualidade. Até o cheese-cake a torta de gelatina branca, mesmo decepcionante, estava deliciosa. Até agora, que eu saiba, é a melhor opção pra se tomar um lanche no centro de Porto Alegre.

Avaliação:
Photobucket

24 de nov de 2009

Biscoitos Cosme e Damião - Sem Parar


Se tem uma coisa que eu GOSTO de fazer é assistir TV ou filme beliscando alguma coisa de comer. É, isso no fim das contas acaba me rendendo uns quilos a mais... mas né, eu moro na beira do Guaíba quase... mais uma desculpa pra caminhar todo dia.

Então eu sempre sou atraído por novidades no mundo dos snacks... e, na boa? Não acho os tais salgadinhos Mignon lá essas coisas. E outro dia eu vi no supermercado esses petiscos aí... o preço não era um absurdo - apesar de ser no Zaffari, onde tudo parece vir acompanhado de pepitas de ouro - e o fato de virem temperados me atraiu bastante. Daí já sabe né? Vem aqui pro papai.

Sem Parar
Q? São torradinhas bem pequenas, temperadas. Há dois sabores: alho e queijo... pelo menos desta marca (Biscoitos Cosme e Damião).
Quanto? R$2,85 uma caixa com 140g

+ Faz jus ao nome viu? Não dá pra parar de comer enquanto não acabar. Sem contar que o tempero é ótimo... tanto o de alho quanto o de queijo... esse último sendo extremamente necessário pros queijólatras como eu.
- No geral assim não um grande ponto negativo... só achei que chega uma hora que eles ficam um pouco gordurosos na boca. Mas é só não comer uma tonelada de vez que você nem sente.

Afinal, vale a pena? Com BASTANTE força. Substitui bonito a pipoca... e eu acho que o preço vale a pena. Ainda preciso experimentar o produzido pelo Supermercado Nacional pra saber qualéquié.

18 de nov de 2009

Petiskeira - Panini


O meu primeiro post sobre Porto Alegre foi sobre o Petiskeira, e eu não gosto de repetir restaurantes nos posts, mas a idéia do Panini é tão interessante que eu abri uma exceção.

Faz uns meses já que a rede de restaurantes Petiskeira colocou no cardápio os chamados Paninis, que são basicamente snacks feitos de massa de pizza enrolada, recheada e assada. Tem de vários sabores, e vão muito bem com onion-rings (que, YES, desta vez vieram quentinhos!), porém vendidos separadamente. Bom, vamos lá então.

Panini
Sabor: Quatro queijos, que segundo o cardápio, são: muçarela, cream-cheese, provolone e gorgonzola.
Quanto? R$12,90, acompanhado de refrigerante 300ml.
Onde? Petiskeira Barra Shopping Sul - Porto Alegre
Telentrega: 51 3320-0020

+ Um desses te satisfaz que é uma beleza. É grandinho, vem quentinho, e é gostosinho!
- Vamos lá, aula de hoje: números: Muçarela... 1, cream-cheese... bem pouco mas tem, são 2. Provolone... com muita boa vontade você sente o sabor dele... são 3. Gorgonzola? Onde? Pois é. Não tem. 4 queijos só se contar com os - poucos - pedaços de parmesão ralado por cima. Além disso, a massa é muito grossa... mas isso é problema geral da massa de pizza aqui no Rio Grande do Sul.

Afinal, vale a pena? Eu não tive sorte com o de quatro queijos, mas aconselho vocês a experimentarem os outros sabores... pois a idéia do Panini ainda é ótima, e tá num preço legal.

Photobucket

12 de nov de 2009

Devorando Poemas


Sabem quando a pessoa diz "vou devorar os livros"? Isso deixou de ser uma metáfora na 55ª Feira do Livro de Porto Alegre. No estande da Caixa Econômica Federal é possível tomar um café e saborear um poema impresso em papel de arroz com confeito. Porém, obviamente, as simpáticas moças que entregam as folhas pedem para que as pessoas leiam o poema antes de comê-lo. Eu experimentei o poema, escrito por Charles Kiefer, da foto acima - clique nela para ler.


Portanto, além de devorar A Pitanga, você também pode conhecer O Sabor do Beijo, degustar O Mar e a Vida, experimentar Uma Lufada de Vida, e comer O Homem Corrosivo.
(Estes últimos quatro tendo sido escritos por Moacyr Scliar)

Sem mais piadas babacas, eu recomendo MUITO a Feira do Livro, tanto pelos poemas comestíveis quanto pelo puta banho de cultura que esse evento é. E corram, porque a feira está em seus últimos dias.

10 de nov de 2009

Concurso Mais Sabor Caseiro - Liza

Maionese feita em casa... todo mundo gosta, né? Mas e o perigo da salmonela? E a durabilidade, que é beeeem menor do que a industrializada? Pra quem gosta de maionese caseira nada disso é problema, porque a Liza está colocando de volta no mercado a Maionese Receita tipo Caseira... e gente, sério: tem gosto de maionese feita em casa mesmo!

Junto com esse lençamento, vem também o Concurso Mais Sabor Caseiro. Para participar, basta se cadastrar no site do concurso e montar um protesto demonstrando sua paixão pelo gostinho caseiro. Daí é só pedir para que votem no seu protesto, e pronto. Você já está concorrendo a uma Aula Gourmet com a Chef Morena Leite (que aliás eu já conheci, é uma querida). Serão 5 ganhadores, e os 2 melhores levam um iPhone.

Então tipo, todo mundo participando!

E eu indico também - além do concurso e da Maionese Receita tipo Caseira - os novos sabores de molho para salada: Iogurte e Mostarda & Mel. São ótimos!

6 de nov de 2009

Minis - Mix de Grãos e Mel, da Quaker

Oi, gente, voltei. For good. Peço desculpas pela ausência, mas don't ask. Agradeço ao Clayton pela confiança de não apagar o meu nome aí do lado ou fazer chá de saco na minha comida. For realz.

Bom, vou falar dos Minis - Mix de Grãos e Mel, da Quaker. É uma alternativa saudável e muito gostosa à praga das barrinhas de cereais, que são cheias de gordura trans e açúcar branco e servem para enganar trouxas.


Ontem mesmo eu reclamava dessa NECESSIDADE que o brasileiro tem de fazer absolutamente tudo com açúcar ou farinha brancos. Você não consegue ir comer em algum lugar sem ter que lidar com pães por toda parte, e isso me irrita profundamente. Não que eu seja uma entusiasta de Atkins nem nada, mas é simplesmente porque eu não gosto de açúcar branco. Não gosto de farinha branca, dá licença? Obrigada.

E taí. Hoje eu achei essa delícia de snack. E tem uns cookies da mesma linha, de maçã e canela ou de aveia com granola, que também são deliciosos.



Então é isso, vale muito a pena. Não lembro quanto eu paguei, porém, porque comprei uns 10 pacotinhos no posto de gasolina. Mas é de comer rezando e pedindo ao deus da aveia que a Quaker não tire de linha por falta de aceitação no mercado, né?

21 de out de 2009

Verão 75º Pringles

Então ontem eu recebi aqui em casa uma adorável e enorme caixa que trazia um também adorável kit contendo adoráveis latas de Pringles. Junto com todas essas coisas adoráveis vinha uma carta contando sobre a promoção Verão 75º Pringles, e pedindoa ajuda do blogueiro que recebesse o kit para divulgar a promoção.

Como eu estou cansado de dizer aqui que eu sou fã de Pringles, vcs sabem que eu ajudo a divulgar com o maior prazer - não só porque eu recebi o kit. Se bem que quero agradecer de verdade pelo kit. Estou MUITO feliz.

Enfim. Gente, a promoção é assim: Quem comprar uma pringles deve guardar o cupom fiscal da compra, entrar no site da promoção e cadastrar-se, para concorrer a 75 mini TVs digitais e uma viagem por 75 praias do Nordeste!

A promoção vai até o dia 3 de dezembro. E tipos, bora participar porque o primeiro sorteio é dia 29 de outubro agora!

PS: Meu, nunca tinha experimentado a Pringles sabor Páprica. Adorei! Agora, Pringles... quando é que vai ter disponível no Brasil os sabores Cheddar e Bacon Ranch, hein?

16 de out de 2009

Mc Donald's - Chef Sausage


E o prejuízo que as outras cadeias de fast-food (principalmente o Subway) está dando pro Mc Donald's parece não ter fim. Há uns meses a rede de restaurantes lançou um sanduíche novo que foi um show. De falta de criatividade e enganação.
A campanha de pequenos preços recém teve sua segunda fase iniciada, onde o Quarterão com Queijo roubou do Cheddar McMelt o posto de "clássico a R$5,00", e a novidade no menu é o Chef Sausage. E aparentemente é novidade mesmo, pois vem com um tipo diferente de carne, definida pelo site do Mc Donald's como "carne sausage". Ok, que raios é isso?

Sausage dá pra ser traduzida simplesmente como salsicha, ou linguiça, e estes dois são embutidos. Mas como estamos falando do americanizador oficial desse planeta, precisamos saber o que é sausage lá nos Estados Unidos.

É sim um embutido, mas não tem muito de salsicha ou linguiça defumada. Se lembra alguma coisa parecida com linguiça, é a linguiça toscana (que a galera aqui do sul adora chamar de "salsichão"), ou a linguiça caseira, muito popular no sul de Minas Gerais e interior de São Paulo. Ou seja, um embutido feito com carne de porco moída e - muito - bem temperada. Nos Estados Unidos é bastante consumida no café da manhã (post sobre café da manhã americano aqui), ou como cobertura de pizzas. Mas, se você um dia estiver lá e vir "italian sausage" no menu de uma pizzaria, não faça a mesma besteira que eu fiz de achar que se trata de linguiça calabresa. Acredite, a decepção será gigantesca.
Eis um exemplo de sausage no café da manhã, e um de sausage em pizza.

Enfim, já sabemos quem é sausage na noite, só falta experimentar e avaliar.


Chef Sausage
Q? Carne sausage, tomate, mix de folhas, mostarda e ketchup, no pão split.
Quanto? R$4,00

+ A carne é bem saborosa - nem parece Mc Donald's. Aliás, bem saborosa MESMO. Bem temperadinha, apimentada no ponto certo, e combina perfeitamente com o resto dos ingredientes. Inclusive com o pão, que também é novidade. O pão tem sabor levemente adocicado, o que harmonizou SUPER bem com a carne (só eu que adoro harmonizar carne de porco com sabores doces?).

- Assim como o Californiano, é pequeno e não tem queijo. E também... sei lá, ketchup e mostarda? Acho que rolava bem uma mostarda dijon hein? Ou molho barbecue.

Afinal, vale a pena? SIM! Acho que o entenderam o recado do fiasco que foi o Califoaniano, né? Recomendo muito, principalmente pra quem torce o nariz pro Mc Donald's. E olha, apesar de ser tão pequeno quanto, este satisfez mais a minha fome do que o Californiano. Provavelmente quando você gosta do que comeu, a fome é mais saciada.

Avaliação:
Photobucket

Quem também fez resenha sobre este sanduíche foi o meu amigo Coma com os Olhos. Opinião parecida com a minha, inclusive.

29 de set de 2009

Ótimo atendimento no Boteco São Bento

Eu sei que poucas vezes aqui eu avalio, ou sequer comento sobre o atendimento dos lugares. Às vezes elogio o serviço, às vezes digo que fui tão bem atendido quanto um sapato furado seria, mas a grande maioria das vezes o atendimento é mediano. Não é digno da Rainha Vitória, mas também não falta nada.

Porém, não é o mesmo que tem acontecido com quem vai ao Boteco São Bento, em São Paulo. O blog Resenha em Seis avaliou o lugar como "o pior lugar para se ir com os amigos, depois da Faixa de Gaza e do Acre". À primeira lida, a resenha parece ser até exagerada, mas ao ler os comentários que a própria gerência do lugar fez no blog, e de saber que eles estão processando o blog, dá pra entender o porquê de cada palavra que deixa o boteco no chão.

Meu, o cúmulo isso. Não é porque eu também tenho blog de resenha e tenho medo de processo. Mas é porque eu acredito numa coisa chamada liberdade de expressão. E em outra coisa chamada propaganda boca-a-boca. Que funciona melhor do que comercial milionário no intervalo do futebol. Então, se o lugar é caro, vende chopp quente, e tem atendimento péssimo, as pessoas têm mais é que indicar que ele não seja frequentado.

E na verdade eu comecei a achar que eles foram bonzinhos demais depois de ter visto um vídeo do mesma rede de botecos com participação do gerente.



Imaginem então como os funcionários são tratados.

...preciso dizer que estou do lado do blog ameaçado, e que não indico o Boteco São Bento nem pro meu pior inimigo (a.k.a. a pessoa que um dia me negar um pedaço de queijo)?

O que eu indico SIM é o Resenha em Seis. Ótimo blog de crítica, não só gastronômica. E aliás eles têm todo o meu apoio nesse caso.

-

Falando em blog de crítica, o Eat N' Tell tá meio muito parado sim, mas estou trabalhando em mudanças e novidades pro blog. Aguardem!

6 de set de 2009

Mostra Nacional ZH Gastronomia

E terminou ontem a Mostra Nacional ZH Gastronomia no Shopping Iguatemi, aqui em Porto Alegre. O evento estava acontecendo desde o dia 2, e contou com exposição de diversas marcas, principalmente locais, do ramo enogastronômico. Além de palestras, aulas, workshops, e muita, mas muita degustação mesmo.

No tempo que eu fiquei lá ontem eu pude, além de comer bastante e beber idem, ter uma idéia de como anda cena gastronômica atual aqui no Rio Grande do Sul: em muita expansão. Os gaúchos estão contando cada vez mais com bons profissionais nos restaurantes e bares, resultado da explosão de cursos na área.

A estudante Adriane, 37, falou um pouco sobre a gastronomia brasileira. "Falta abrir mais o mercado interno, valorizar o que é nosso, as nossas riquezas". Ao ser perguntada sobre essas riquezas, Adriane afirmou que as maiores delas são as frutas e verduras do Brasil, e lembrou do feijão dentre as preparações. "Quando nós estudamos mais a fundo, descobrimos que nem todos os pratos típicos foram criados aqui mesmo, mas mesmo assim eu acho que o feijão se destaca", diz a aluna do quarto semestre do curso de Gastronomia da Unisinos.

No final do dia, assisti uma aula do chef Jefferson Rueda, do restaurante Pomodori, em São Paulo. O chef demonstrou como preparar alguns dos pratos que mais fazem sucesso em seu restaurante, que tem fortes raízes na culinária italiana: Aspargos grelhados com grana padano e ovo caipira, Spaghetti alla chitarra (usando com um utensílio tradicional para fazer spaghetti), e Merengue de frutas vermelhas e sorvete de mascarpone.

A parte ruim? Não houve degustação na aula. Porque sinceramente, sorvete de mascarpone é de chamar muita atenção.

As fotos do evento estão aqui .

3 de set de 2009

La Pasiva

Pausa pros engraçadões fazerem piada sobre o nome La Pasiva.



Então. La Pasiva é uma cadeia uruguaia de restaurantes. Cardápio focado, obviamente, na culinária do país. Portanto, lá encontra-se muita parrilla e tibitos. Par... who? Tibi.. what? Eu explico.

Vocês podem ouvir alguns menos informados dizerem que Parrilla é um tipo de churrasco que a galera faz na Argentina e no Uruguai. Errado. Parrilla define a forma de preparar carnes, jamais sendo espetadas, sobre uma enorme grelha (e o nome desta grelha é justamente parrilla). Isso nunca vai ser churrasco, pois no churrasco a carne é exposta diretamente ao fogo, em espetos ou sobre grades - este último método sendo usado em muitos lugares exclusivamente fora do Rio Grande do Sul.

E tibitos, pelo menos no La Pasiva, são basicamente sanduíches com filet mignon.

Tá, agora que a nomenclatura foi definida, vou falar hoje sobre uma parrilla apresentada no menu como sugestão do chef, e um outro dia sobre um tibito.

Maminha ao molho de mostarda com batatas ao creme
Q? Maminha parrillada, servida com molho de mostarda e acompanhada por batatas laminadas assadas, com molho a base de creme.
Quanto? R$17,90
Onde? La Pasiva

+ A quantidade de carne! Três fatias bem grandes e grossas. Sem contar que ela veio no ponto ideal, como nota-se na foto ali em baixo. O molho tem espessura excelente para carnes e tem sabor bem acentuado de mostarda. Vem até com alguns grãos de pimenta, pros chili addicts. E a batata ali... putz, ótima sob todos os aspectos! Não chega a ser uma batata ai funghi do Kappa, mas é no mesmo estilo - sem o funghi.

- O molho poderia ter um pouquinho mais de sal, já que ele está ali para agregar mais sabor às fatias grossas da carne. A batata veio numa porção muito pequena. E também, alguns pontos de decoração: mano, pra quê salpicar coloral nas bordas do prato? E aquele semi-ramo de salsa ali? Exagero, né?

Afinal, vale a pena? SIM! Mas um sim com muita força. Carne ser servida nessas quantidades é difícil encontrar (talvez no Outback), ainda mais nesse preço (jamais no Outback). E a carne é de qualidade e é extremamente bem preparada. Recomendo muito, muito mesmo.

Avaliação:
Photobucket

1 de set de 2009

Macaronni

Puxa, desde quando que eu não postava nada sobre massa aqui? Daí que já faz tempo que eu noto essa rede de massas fast-food nos restaurantes, e outro dia resolvi experimentar. Não faz o estilo Spoleto, que o cliente mete 10 mil ingredientes num molho e sai aquele conflito terrível de sabores. O cardápio aqui é fixo.

E o que mais me chamou a atenção foi ter visto a massa sendo preparada ali no balcão deles mesmo. Ótimo, mais um item pra analizar! Dentre o vasto cardápio deles eu escolhi um prato bem simples e que me pareceu BASTANTE apetitoso. Formaggio. Porque né... queijo. Até poderia experimentar o Fettucine ao Cheddar, mas particularmente naquele dia eu não estava lá muito afim de comer mingau de maisena com corante laranja.

Formaggio
Q?
Fettucine na manteiga ao molho de queijo com dois escalopes de filé na chapa. Bacon opcional, que eu não pedi.
Quanto? 13,90.
Onde?
Macaronni

+ Bom, a massa: ótima! Bem saborosa, e numa quantidade justa. O molho é feito com queijo branco, e me surpreendeu pelo sabor suave e bem característico. E a carne veio no ponto certo, nem precisei pedir.

- Primeiro, a quantidade de molho não fez jus à quantidade do macarrão. Pra comer um pouco de macarrão com quantidade significativa de molho, eu tive que comer muito macarrão sem nada. Nem mesmo sal. Segundo, tinha muita manteiga no fettucine. E terceiro, o molho é suave demais pra ser servido com uma carne grelhada assim. O sabor do molho é bem atropelado pelo da carne, e da manteiga em excesso. Isso porque eu pedi sem bacon.

Afinal, vale a pena? Eu sei que a resenha foi mais negativa do que positiva. Não é harmonizado corretamente, e a quantidade de molho é uma piada. Mas mano... que molho! Não é nada de outro mundo, mas é autêntico! Sabor bem delicado que lembra aquele queijo minas fresquinho. Então por conta do molho, e só do molho, merece os 4 ketchups da avaliação. Mas só hoje. Bora mudar a proteína do prato e colocar mais molho?

Avaliação:
Photobucket

-

Ao fazer a votação para este post no twitter, o @Thiago_Cohen me lembrou deste vídeo que eu gravei com os culega quando eu morava nos EUA. Vale a pena dar uma olhada.
PS: Eu sou o sexto a falar.

29 de ago de 2009

Comida de Avião - Webjet (pt 2)

Refeiçãozinha do segundo trecho da viagem pra São Paulo. Desta vez, o mini-sanduíche foi trocado por algo mais parecido com comida de almoço... ACHO que é porque isso foi servido lá pelas 11:30 da manhã... mas só acho. Rolou uma quiche então... pra alegria deste que vos fala, que é um tanto fanático pelo prato. A sobremesa foi, como da refeição anterior, de banana... uma cuca. Será que foi menos decepcionante do que o pseudo-brownie?

Quiche de frango com legumes
Q? Quiche de frango com legumes.

+ Massa no ponto CERTO! E isso é difícil de encontrar nas quiches por aí. Crocantinha e esfarelenta. Sem contar o tamanho generoso e o recheio bem temperado e saboroso. Bompaporra viu.
- Ahn... posso reclamar que devia estar quente? Não né, seria injusto com o serviço de bordo. Então reclamo do recheio mesmo. Recheio padrão pra quiche TEM que ter como base uma mistura de ovos e creme de leite. Coisa que, combinada com o frango e os legumes e uma pitada de noz-moscada, ficaria de lascar o cano. E eu nem senti isso nessa quiche. O recheio era praticamente SÓ frango e os legumes.

Avaliação:
Photobucket


Cuca de banana
Q? Bolo pão-de-ló com uma fatia de banana, e farelos de massa por cima, para parecer que é cuca de verdade.

+ Macia, e de um tamanho generoso.


- Olha quanta banana tinha.










Avaliação:





Poderia ser melhor? A quiche não é quiche. É torta de frango. Tirando isso, tá ótima e eu não mudaria muita coisa não. Já a cuca... por favor né.

-

No Twitter do blog tá rolando votação pro próximo post! La Passiva ou Macarroni? Duas redes de restaurantes bem famosas aqui em porto alegre. Votem!


25 de ago de 2009

Casa do Croissant

Às vezes, quando eu estou no centro de Porto Alegre, eu dou uma passada no Zaffari, rede de supermercados dominante por aqui, e compro alguma coisa da padaria deles pra matar a fome... dia desses eu não estava afim de comer mais um enroladinho de salsicha e ganhar mais uma azia de brinde, e dei uma olhada nos produtos industrializados presentes nas prateleiras.

Um pacotinho com croissants prontos me chamou a atenção. Primeiro porque... né, croissant! E pareciam bem macios.... juro que consegui sentir um imaginário cheirinho amanteigado. Depois pela curiosidade que me bateu de imaginar como conseguiram fazer um autêntico croissant industrializado que tivesse uma boa durabilidade. Comprei na hora e sem dúvidas. Mesmo sabendo que era sem recheio nenhum.

Casa do Croissant - Croissant simples
Q? Pão tipo croissant. Embalagem com 6 unidades.
Quanto? R$3,94 no Zaffari.

+ É, de fato, macio. Deve ser bom pra comer com requeijão, queijo, presunto, etc. E, hum, não é ruim.

- Ao abrir o pacote e sentir o cheiro que veio de dentro, eu já sabia do que se tratava. De uma tremenda enganação. Não é croissant coisíssima nenhuma. Isso aqui é a famosa bisnaguinha, só que com outro formato. Tem exatamente o mesmo sabor e textura. Não lembra, nem de longe, o croissant original.

Afinal, vale a pena? Nem debaixo de paulada. Eu gosto sim de bisnaguinha e não achei esses tais croissants ruins, mas o que eu não suporto é galera vender jabuticaba falando que é cereja. E a empresa ainda tem a cara-de-pau de se chamar casa do Croissant. Golpe de marketing muito, MUITO sujo esse. Não recomendo nem pro Dado Dolabella, e olha que ele bate em mulher. Deveria sim ter comido o enroladinho de salsicha. Casa do Croissant? Não, valeu, prefiro azia.

Avaliação:

20 de ago de 2009

Deli Drops - Sorvete em bolinhas

Primeiro de tudo me desculpem a demora nos posts (pela, sei lá, milésima vez)... mas a maravilha da NET - jamais assinem Virtua - tá com problema aqui na minha região. O negócio tá sendo roubar sinal wireless alheio por enquanto. Mas enfim.

Outro dia, em São Paulo, eu estava no shopping com a minha prima, e ela sugeriu que nós tomássemos o sorvete em bolinhas. "Sorvete em quê?", eu perguntei, e ela então me explicou que era um tipo de sorvete novo, e que parecia bolinhas de isopor. Fiquei bastante, mas bastante mesmo curioso, e resolvi experimentar. Mais tarde eu pesquisei sobre, e descobri que não é tãããão novidade assim... tá aí no mercado faz alguns anos já, e o que faz o sorvete sair assim é a temperatura, extremamente baixa, usada na produção e armazenamento do produto.

Pelo que eu vi o baguio tá pegando bem... tinha uma boa galera reunida no quiosque que vende o tal sorvete, comprando potinhos com 4, 5, 6 ou 7 sabores. Escolhi um de 5.

Deli Drops - 5 sabores
Sabores: Banana, blue ice (uma espécie de tutti-frutti mais suave), creme, morango e limão.
Quanto? 6,00.
Onde? Deli Drops Shopping ABC. Vale entrar no site e conferir onde ficam as unidades.

+ Não é que é bom o negócio? Primeiro, o sabor. Bem concentrado, mesmo sendo beeeeeeeeem gelado. Destaque pro de banana e de morango. Segundo, a textura... bem firme no começo e vai derretendo... como são bolinhas beeem pequenas, causa uma sensação até divertida ao comer. Perfeito pra crianças!

- Alguns sabores eu achei enjoativos... tipo limão e o tal blue ice. E também, como os sabores são colocados em camadas, ao que uma vai acabando, as bolinhas se misturam com as da camada seguinte. E se tem uma coisa que eu ODEIO é misturar sabores de sorvete. Sabe o napolitano? Então. Detesto tudo aquilo misturado. Só como separado. Talvez a solução seja colocar uma camada de creme entre cada uma... é neutro e combina com tudo. Enfim, sem contar o preço né... o potinho nem é lá muito grande e custa 6 conto.

Afinal, vale a pena? Sim! Eu sei que é bem caro, mas é uma boa experimentar. Só não esperem que as tais bolinhas te deixem tão satisfeito quanto o sorvete comum... porque um potinho desses não enche nem o buraco do dente.

Avaliação:
Photobucket